segunda-feira, 16 de maio de 2011

Ela tá dodói,e meu coração dói também!

Como é ruim ver um filho doentinho, não é?! Ver ele sofrer então, é de cortar o coração!!
Minha Manu acordou na manhã de domingo dizendo que estava com o ouvido esquerdo doendo, e que tinha sido porque ela estava deitada no meu braço. Achei que fosse o relógio, tirei-o e ela voltou a deitar, mas continuou reclamando de dor. Levamos ela na emergência para o médico dar uma olhada e ele constatou que havia uma pequena inflamação no ouvido esquerdo. Medicou com antiflamatório oral e tópico. Tudo bem, saímos de lá aliviados porque havíamos constatado um problema no início e logo logo ela já estaria bem.
Que nada! Sentiu dor durante o dia, mas com o remédio tudo voltava ao normal. Teve um pouco de febre, mas com um tylenol logo melhorou. Nada preocupante.
Na segunda feira passou o dia também assim, sentindo um pouco de dor e quando tomava o remédio voltava a ser a Manuzinha de sempre.
Mas, na segunda feira tarde da noite ela começou a ter muita febre e a sentir muita dor. Chegou a dormir com as mãoszinhas nos ouvidos (acho que o calor da mão aliviava a dor), e nós colocávamos nossa mão no ouvidinho dela para aquecer também. O remédio da febre só estava fazendo efeito depois de umas 2 horas, e o antiflamatório também. Ela estava tão cansada que assim que o remédio fazia efeito ela dormia. Mas, cerca de 3 horas depois a dor voltava, e febre voltava mais forte ainda. Lá pelas 5 da manhã ela chorava de dor, e gritava dizendo "tá doendo meu ouvido". Ai, como dói o coração em ouvir seu filho dizer isso. Ela segurava os ouvidos e chorava, chorava. A vontade que tinha era de pegá-la no cólo e fazer a dor passar imediatamente, sumir, vir pra mim, sei lá. Mas, eu a pegava no cólo e a dor não passava.
 Imediatamente levamos ela ao médico novamente. No caminho todo ela foi chorando (de gritar) e lá no hospital ainda chorava. O médico de plantão a examinou e falou que estava muito inflamado, com pus e que por isso estava doendo muito. Desta vez receitou um antibiótico e mandou levarmos ela ao otorrino (um especialista é melhor). Meu marido já havia marcado otorrino para o mesmo dia, no final da tarde.
Chegando em casa ela tomou logo o antibiótico e em 5 minutos já não sentia mais dor. Que alívio ver seu filho sem dor, dormindo como um anjinho, depois da noite tumultuada que foi.
Tive que sair para uma audiência, e fui agoniada porque não parava de pensar na minha pequena, dodói. quando saí ela estava dormindo, então não sei como ela estaria quando acordasse, se estaria sem dor ... É uma droga termos compromissos inadiáveis quando na verdade queria estar ao lado dela!
Meu marido me ligou dizendo que ela havia acordado com febre, dor e que ele já havia dado o remédio que nada havia passado. Fiquei preocupada pois estava longe, impotente.
Meu marido então adiantou a consulta ao otorrino e a levou ao médico (a mãe dele foi junto para ajudar). Fiquei feliz por saber que ela seria examinada logo por um especialista, mas fiquei tão triste comigo mesma de não poder estar com ela nesta hora. Queria poder estar com ela sempre, nos momentos felizes, tristes ... Desde quando ela era bebezinha eu falarva pra ela (e ainda falo) que eu vou estar ao lado dela sempre, nos momentos bons e ruins. Que vou estar ao lado dela segurando na mão dela (e sempre faço isso nas consultas médicas) e que, se por algum motivo ou não puder estar ao lado dela fisicamente, eu vou estar de coração. E foi isso que aconteceu. Eu não podia eatar ao lado dela fisicamente, mas estava de coração e de alma - e ainda bem que sermpre falei isso para ela (já prevendo que um dia, em alguma situação, eu não estivesse com ela - só não achei que seria tão cedo, ela tendo apenas 3 anos!).
Bem, para concluir ela foi super bem atendida, os remédios estavam corretos e ela já melhorou no meso dia que entrou no antibiótico (mas temos que dar por 10 dias). Já está outra criança - feliz, brincando ... e SÚPER MANHOSA!
Para tudo agora ela fala que é neném, que a neném ficou dodói, que a neném quer colinho ... hoje até pediu para comer sopa porque neném come sopa, porque quem fica doente come sopa, porque sopa melhora o dodói ...
Ai, minha criança. Como você me faz feliz!

Mas ontem, já de noite, quando ela estava me contando como foi a consulta no médico-doutor, ela me falou: você não foi comigo lá! (é, ela só tem 3 anos, mas saca as coisas!).

Me desculpe, filha, não pude ir porque tinha um compromisso de trabalho, que não cabe a mim adiar. Mas você estava com seu pai, sua avó ... não estava sozinha. E a mamãe estava com você de coração (estava mais com você do que na audiência!). E também, sua consulta era às 16:30 hs, às 16:00 hs eu já estava em casa e daria para ter ido ao médico com você. Mas, pela urgência da situação, seu pai adiantou a consulta (ainda bem!) e aí eu não pude estar.

Não quero nunca mais ver minha filha chorar de dor como eu vi ontem. Nunca havia a visto chorar de dor assim. Geralmente, quado ela sente dor ela não chora, ela fica quietinha, reclama da dor ... se chora, é mais por manhã, dengo, do que por dor. Mas o choro dela ontem foi algo que eu não havia visto. Você sentia a dor dela pelo choro. Coisa horrível que eu não desejo para nehum pai ou mãe.


bjs.

3 comentários:

Rô Miranda disse...

Tadinha dela, eu sei o que é uma dor no ouvido, com 22 anos senti uma como essa da Manu, nossa dói demais.
As mãos no ouvido da uma iluzão que alivia mesmo, mais só a nossa não a dos outros.
Que bom que ela melhorou. Beijinhos

Aline e Júlia disse...

o titulo do seu post diz tudo!!!
corta nosso coração!espero que ele ja esteja bem melhor.

bjus

Karol, a Marinho. disse...

Own, tadinha da Manu. Mas graças a Deus tudo voltou ao normal, espero que nem tão cedo essa dorzinha chata visite vocês de novo.
Beijo, da Karol.

 

real time statistics
The North Face

Lilypie First Birthday tickers Lilypie Fourth Birthday tickers Lilypie First Birthday tickers